Milagre reconhecido pela Igreja Católica foi a cura de uma criança brasileira

Os fiéis católicos se alegram, Carlo Acutis foi beatificado. O jovem italiano que faleceu em 2006, aos 15 anos, devido a leucemia, foi proclamado beato pelo Cardeal Agostino Vallini, Legado Pontifício para as basílicas de São Francisco e Santa María dos Anjos, em uma cerimônia celebrada na Basílica de São Francisco de Assis.

Conhecido como o “ciberapóstol da Eucaristia”, o jovem dedicou boa parte de sua trajetória na terra ao catecismo virtual e à criação de redes online para conectar mais de 10 mil paróquias.

E o milagre reconhecido pela Igreja Católica foi a cura de uma criança brasileira. No ano passado, o Vaticano aceitou o milagre acontecido na Paróquia São Sebastião, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, pela intercessão do Venerável Carlo Acutis, o Anjo da Juventude. O milagre ocorreu na vida de uma criança que passava por graves problemas de saúde. Em uma celebração ocorrida no dia 12 de outubro de 2010, quatro anos depois da morte de Carlo Acutis, um avô desesperado com o diagnóstico do neto doente o levou na Paróquia Sebastião e, ao tocar na roupa contendo inclusive o sangue de Carlo, ele teria sido curado.

“Concedemos que o Venerável Servo de Deus Carlo Acutis, leigo, que, com o entusiasmo da juventude, cultivou amizade com o Senhor Jesus, colocando a Eucaristia e o testemunho da caridade no centro da própria vida, a partir de agora seja chamado Beato e que seja celebrado todos os anos nos locais e de acordo com as regras estabelecidas pelo direito, em 12 de outubro, dia de seu nascimento ao céu”, assim foi lida a fórmula pelo Cardeal Vallini, que presidiu à missa de beatificação de Carlo Acutis.

Na cerimônia foi revelado o retrato oficial do novo Beato e uma relíquia sua foi levada pelos seus pais até o altar, onde se adornou com velas e flores. Os pais e irmãos do jovem beato estavam presentes na cerimônia.

Seu corpo que está exposto desde o início de outubro para veneração no Santuário da Espoliação de Assis, na Itália, e a veneração poderá ser realizada até o dia 17 de outubro.

Créditos da imagem: Diocese de Assis/Nocera Umbra -Gualdo Tadino

Crédito Foto da Capa: Daniel Ibáñez / ACI Prensa