O Conselho Nacional de Educação (CNE), aprovou nesta terça-feira (6) uma resolução que permite o ensino remoto nas escolas públicas e particulares do país até 31 de dezembro de 2021. Para entrar em vigor, o texto terá de ser homologado pelo Ministério da Educação. Como em outras resoluções durante a pandemia.

O documento do CNE também não recomenda a reprovação em 2020. É sugerido que se adotem “anos escolares contínuos”, ou seja, junte-se a série em que o estudante está em 2020 com a próxima, em 2021. A flexibilização do calendário do CNE, no entanto, não significa uma indicação de que as aulas não precisam voltar, no entanto de acordo com os sindicatos, volta às aulas presenciais pode demorar mais de um ano no Brasil

O objetivo do CNE, é que as redes de ensino possam organizar seus calendários, com reposições de aulas perdidas e avaliações. O documento também recomenda que as escolas não deem faltas aos alunos nesse período todo de pandemia.

Informações: Gazeta do Povo

Foto: halbergman