O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ) decidiu hoje, 24 de setembro, por unanimidade, pela inelegibilidade do prefeito Marcelo Crivella, candidato à reeleição na capital fluminense. O julgamento começou na última terça-feira, 22, mas foi interrompido quando o placar estava seis votos favoráveis e nenhum contra. As informações são do Portal G1 e da Agência Brasil.

O desembargador Vitor Marcelo Rodrigues pediu vista do processo, alegando ter tido pouco tempo para análise; ele foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro no último dia 31 de agosto. De acordo com a decisão, Marcelo Crivella deverá ficar inelegível até 2026 e ainda pagar uma multa no valor de R$ 108 mil.

A ação que originou o processo foi movida pelo PSOL e pela Procuradoria Regional Eleitoral. O motivo foi uma reunião realizada entre o prefeito e os funcionários da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) em 2018, na qual o Chefe do Executivo anunciou seu filho Marcelo Hodge Crivella como pré-candidato a deputado, caracterizando abuso de poder político. Segundo os dados do processo, os funcionários da Comlurb foram levados à quadra da Escola de Samba Estácio de Sá em carros oficiais da companhia e em horário de expediente. A defesa de Crivella irá recorrer.

Marcelo Crivella é candidato à reeleição na prefeitura do Rio de Janeiro.

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil