Rede de Notícias do Sindijori MG -www.sindijorimg.com.br

Número de MEI cresce 18%

                   O número de microempreendedores individuais (MEI) em Minas Gerais aumentou 19,5% nos oito primeiros meses de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado. Nos Vales do Aço e Rio Doce, região atendida pelo Sebrae Minas, com 121 municípios, a pesquisa apontou um crescimento de 18,9% no mesmo comparativo, com um total de 17.562 novas formalizações. As cidades que correspondem às microrregiões contabilizaram os seguintes crescimentos: Governador Valadares (3.311), Ipatinga (2.464), Itabira (1.029), Caratinga (836), João Monlevade (820), Guanhães (240) e Aimorés (162). (Diário do Aço – Ipatinga)

Cesta tem elevação em Varginha

                   O Índice da Cesta Básica em Varginha (ICB-UNIS) apresentou elevação de 4,72% entre os meses de agosto e setembro, sendo a maior elevação para este ano. Em 12 meses, de setembro de 2019 a setembro de 2020, o valor da cesta básica em Varginha apresentou um aumento de 19,26%. Já no acumulado de 2020 há uma elevação de 3,96%. A pesquisa coleta os preços de 13 produtos que compõem a cesta básica nacional de alimentos nos principais supermercados da cidade. (Gazeta de Varginha).

UFU entre as melhores do mundo

                   A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) apareceu pela primeira vez no THE World University Rankings 2021, que lista as melhores instituições de ensino superior do mundo. Entres as 1.572 instituições avaliadas, a uberlandense aparece empatada com outras universidades na posição 1001+ (1.151). Das 52 universidades brasileiras citadas no ranking, liderada pela Universidade de São Paulo (USP), que ficou entre as 250 melhores, a UFU ficou com a 39ª melhor nota. (Diário de Uberlândia).

Prefeita de São Lourenço é punida

                   A Justiça Eleitoral, obrigou a Prefeita de São Lourenço-MG Célia Cavalcanti a retirar todas as postagens de conteúdo político impulsionadas em suas redes sociais, por terem sido caracterizadas como propaganda eleitoral extemporânea, ou seja: fora de época. A decisão saiu após uma denúncia feita pelo PTC, cujo presidente, Marcel Carvalho Santos, denunciou que as publicações de cunho político feitas nas redes sociais da prefeita feriram o principio de igualdade na pré-campanha eleitoral. (O Popular – São Lourenço).

Famílias não querem volta às aulas

                   A Secretaria Municipal de Ensino realizou uma pesquisa de opinião sobre a possibilidade de retorno das aulas presenciais na Rede Municipal de Ensino de Poços de Caldas junto às famílias dos alunos e servidores da Educação. Na Educação Infantil, 73% das famílias dos alunos matriculados responderam ao questionário, ou seja, 4.746 de um total de 6.519 estudantes. 78,2% das famílias responderam que não encaminhariam os filhos para os centros de educação infantil ou escolas em 2020, no caso do Estado de Minas Gerais autorizar o retorno das aulas presenciais. (Jornal Mantiqueira – Poços de Caldas).

Produtores de uva são orientados

                   A pandemia da Covid-19 não impediu que 15 produtores rurais de São Sebastião da Vargem Alegre e região, na Zona da Mata mineira, seguissem com as plantações de uva e continuassem recebendo consultoria técnica do Projeto de Inclusão à Fruticultura, que completou um ano em julho.  Só que agora, por questões de segurança, a assistência passou a ser realizada remotamente, por videoconferência, ligações telefônicas e mensagens de WhatsApp. (Gazeta de Muriaé)

Fiscalização registra 20 infrações

A Prefeitura de Divinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e em parceria com a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), realizou ações de fiscalização desde a última sexta-feira, 4. No total, foram feitas 52 inspeções em estabelecimentos comerciais. Dentre as ações efetuadas, foram registradas 20 infrações, sete interdições e cinco notificações. (Jornal Agora – Divinópolis)

Educação em crise em Montes Claros

                   A situação da educação pública municipal em Montes Claros, que já apresentava problemas antes da pandemia, agora se tornou um verdadeiro martírio para professores e pais de alunos, que acompanham o descaso da prefeitura com a forma de encaminhar o ensino durante a quarentena. A tão prometida cesta básica para ajudar as famílias carentes, já que as crianças estão sem a merenda escolar, não chega aos lares onde poderia fazer toda a diferença. A jornada de trabalho dos professores é pesada. (O Norte de Minas – Montes Claros).