Nesta sexta-feira (21), por volta de 10h43min, o CBMMG foi acionado via 193 pela regulação do SAMU para comparecer à Fazenda Santa Edwirges, zona rural do município de Varginha em atendimento a uma vítima de acidente com maquinário agrícola.


Diante da gravidade repassada pelo solicitante e não sabendo corretamente a cena que poderia ser encontrada ao chegar ao local o CBMMG iniciou deslocamento com as viaturas UR 8864, ASM 2340 e ACA 1211 (CBU).

Considerando que o local é de difícil acesso devido a diversos entroncamentos e bifurcações na estrada foi informado que um veículo estaria aguardando na saída da cidade para guiar as equipes.


Chegando ao local as equipes encontraram um trator com um implemento “perfurador de solo” acoplado na tomada de força e nos braços do levante hidráulico, contudo, como o equipamento havia iniciado um ciclo de perfuração e o trator havia sido desligado antes de concluir, toda a máquina já estava estabilizada e oferecia segurança para a realização dos trabalhos por parte do CBMMG.


Segundo apurado a vítima trabalhava guiando e direcionando o perfurador quando suas roupas se prenderam ao flange do eixo cardã que se liga à tomada de força do trator e neste momento a vítima foi puxada e girada entre as estruturas do implemento até que o trator fosse desligado.


A vítima, L. A. M. R, 64, sexo masculino, foi encontrada em decúbito dorsal próximo ao implemento na parte traseira do trator sendo amparada por terceiros presentes no local, ECG13, consciente, desorientado e apresentava fratura de úmero no MSE, fratura de tíbia e fíbula no MIE, laceração à direita na região pélvica seguindo até próximo ao períneo, suspeita de fratura de pelve, enrijecimento unilateral abdominal com flacidez oposta, edema considerável látero-abdominal com suspeita de hemorragia interna na região abdominal inferior.


Diante da situação citada foi tentado contato com a equipe Arcanjo para fornecimento de coordenadas, contudo, o local não apresenta sinal para nenhuma operadora de telefonia e o sinal do sistema de rádio também não funcionou por ser um região muito baixa.


Considerando o citado acima, foi realizado o atendimento da vítima com O2 suplementar, curativos nos ferimentos, imobilização das fraturas e imobilização em prancha longa com constante monitoramento e análises para verificar a evolução do quadro.
Por motivo da indisponibilidade técnica para contato com a equipe Arcanjo, considerando a gravidade da situação, resolvemos ser o melhor para a vítima iniciar o deslocamento terrestre com destino ao atendimento médico e que se fosse possível seria feita a interceptação durante o deslocamento para suporte avançado do Arcanjo ou da USA 01 do SAMU.

Fonte e Foto: CBMMG