Na verdade, o bom senso é um dos principais guias para rotina diária dos cuidados com o bebê. Mas nunca é demais repassarmos alguns macetes. Lembre-se que, geralmente, as vós ou amigas mais experientes podem ajudar, mas cuidado! Crendices, vícios, ou erros grosseiros como fumo no umbigo, cinteiros e faixas, talquinhos, chazinhos, pomadas e óleos podem prejudicar a saúde. Sempre devemos lembrar que bebês são muito frágeis.

Nesta coluninha vou me ater somente a troca de fraldas.

Trocando a Fralda

Sugiro que você use o seguinte material:

Para limpar:água morna (deixe sempre numa garrafa térmica) e chumaços de algodão previamente cortados ou lencinhos umedecidos (que se compra pronto)
Para enxugar:Uma fralda de pano limpa e seca
Para proteger a pele:Creme de barreira sem antibiótico, sem nistatina e sem cortisona. Peça ao pediatra que indique uma que alie qualidade e bom preço já que vai usar muito

Os bebês nascem com um reflexo chamado gastro cólico. Quando o estômago enche, geralmente a criança evacua, e quase sempre urina. Bebê urina muito e a ureia é toxica à pele!  O correto, portanto, é trocar as fraldas após cada mamada. Se bem que, bom lembrar, alguns bebês passam até 4 dias sem evacuar (sim, é normal!).

Como fazer? Bem vamos lá, passo a passo:

–  Procure um local que não tenha corrente de ar e que não seja frio;

– Coloque a água morna (que está dentro da garrafa térmica) no recipiente (pode ser uma vasilha de plástico simples);

– Coloque neste recipiente alguns chumaços do algodão, de forma a molhá-los; ou use os tais lencinhos umedecidos comprados prontos, que são muito práticos e atóxicos, embora muitos tenham preconceito contra eles. Eu acho excelente e muito higiênico!

– Coloque o bebê de frente, sobre o trocador (que pode estar sobre a cama, sobre a cômoda ou no local que melhor lhe convier – desde que seja seguro, firme, plano);

– Desabotoe sua roupinha e abra sua fralda;

– Com uma mão, levante-o de-li-ca-da-men-te pelas perninhas e, simultaneamente com a mão livre, retire a fralda suja ou feche-a sob o bumbum do pequeno;

– Mantendo as perninhas do bebê para cima com uma mão (mas agora sem levantá-lo), pegue um chumaço de algodão ou o lencinho umedecido, esprema-o retirando o excesso de água, e passe no bumbum do neném limpando a sujeirada;

– Jogue o algodão sujo fora, pegue outro e continue limpando. Limpe tudo, o bumbum, as virilhas, a genitália, etc.

NO CASO DA MENINA SEMPRE FAZER A HIGIENE NO SENTIDO DA VULVA PARA O ÂNUS E NÃO O CONTRÁRIO PARA NÃO TER PERIGO DE LEVAR COCÔ PARA DENTRO DA GENITÁLIA (À frente detalhes da higiene do piruzinho).

– Seque bem a área com a fralda de algodão bem macia, limpa e seca (atenção especial para as dobrinhas e virilhas);

– Aplique no bumbum, virilhas e dobrinhas uma camada fina do creme de barreira, mas em toda área da região das fraldas;

– Agora ponha a fralda nova aberta sob o bumbum do neném, centralize-a, ajeite-a e feche-a mas não a deixe muito apertada. Depois, abotoe a roupinha e pronto! Bebê limpo e feliz.

Se o bebê estiver assado, ou apresentar uma leve vermelhidão o pediatra deve aconselhar, para prevenir e curar assaduras, o mais cedo possível. Não deixe de avisar o pediatra ao início da assadura. Quanto mais cedo, mais fácil de tratar.

Às vezes pode acontecer do bebê resolver fazer xixi em plena troca de fraldas. Aí é aquele aguaceiro… Mas tudo bem, deixa-o fazer o xixi dele à vontade e não reclame! O pipi dele é sagrado! O cocô também. Respeite. Não tenha reações de susto, raiva, indignação. Se tiver que reagir, ria! Ache graça e prestigie seu pipi. Uma reação negativa pode assustar, inibir e até traumatizar o neném. Isto é muito importante! Pode, sim, trazer traumas emocionais e distúrbios psicogênicos se houver atitude intempestiva nesta hora.

Não aconselho nas trocas de fraldas talcos, maisena e, repetindo, cremes com cortisonas, nistatina e antibióticos se não houver vermelhidão.

Após 30 dias de vida um pouco de sol na região das fraldas, uns 5 a 10 minutos por dia, é muito recomendável.

 Cuidando do Pintinho

Se o bebê for um menino, atenção com o pintinho: não empurre a pele da ponta do piruzinho dele para limpar. Eu disse: NÃO empurre a pele! Ao contrário do que muita gente pensa, empurrar a pele é exatamente o que pode gerar a necessidade de uma cirurgia de fimose.

Por que empurrar a pele é ruim? Porque existe um processo de cicatrização lento e natural que acontece debaixo da pele. Se empurrarmos a pele constantemente para limpar melhor, esta cicatrização é prejudicada. Cria-se uma crosta (tipo umas casquinhas) e aí sim pode inflamar e obstruir a região dificultando a passagem do pipi.

A higiene do piruzinho se completa com o banho diário normal, sem necessidade de limpezas mais elaboradas. Pode estar certa, na maioria dos casos, se não houver manipulação errada, o piruzinho não apresenta problemas sendo totalmente desnecessária a intervenção de fimose.

Pensando: se a natureza criou o pinto assim, por que o homem tem que ir lá e cortar a ponta, a título de uma suposta higiene? Se a forma do pênis é assim, é porque ele é perfeitamente capaz de funcionar bem deste jeito. Intervenções e circuncisões só devem ser feitas em casos especiais de real necessidade ou para atender a uma imposição cultural-religiosa. Se realmente fosse um problema higiênico não haveria pintos inteiros, e a natureza teria se encarregado de criar uma forma diferente para eles.

Dr. Edson Lopes Libanio é o atual Presidente da Regional Sul da Sociedade Mineira de Pediatria (pela 5º vez). É diretor Médico da Clínica Baependi. Foi diretor algumas vezes da Sociedade Mineira de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Pediatria. Foi Auditor Médico do Ministério da Saúde por 30 anos. Foi Pediatra da SES MG. Tem inúmeros outros cargos classistas em sua história de vida, desde Diretor Clínico do HCMR algumas vezes até da diretoria da AMMG. Mas gosta de ser apresentado mesmo como um Pediatra do interior.