Párocos estudam as melhores maneiras para o retorno das missas com presença de fiéis (Foto: INC)

Por Priscila Silva e Juliana Carvalho

Neste momento de pandemia, a fé tem sido aliada de muitos e âncora para manter-se em paz e confiante de que tudo isso irá passar. Não à toa, a Igreja Católica, assim como outras religiões, tem de diversas formas proporcionado aos fiéis momentos de oração utilizando as redes sociais como importante meio de disseminação da Palavra de Deus. Mas com o avanço da pandemia no interior, como ficam esses locais?

Em Baependi, a Igreja Católica vinha se preparando e se adequando para reabrir aos paroquianos no próximo dia 1º de agosto. Mas com o crescente número de casos e a publicação de novo decreto que determina o lockdown no município, esses planos deverão ser adiados. “Agora as datas dependem da prefeitura. Somente poderemos implantar o planejado quando a prefeitura permitir. Estaremos esperando a prefeitura permitir. Vamos continuar rezando as missas pela Internet, mas o santuário e a secretaria continuam fechados”, afirmou o reitor do Santuário de Nossa Senhora da Conceição da Beata Nhá Chica, Pe. Edinho.

Paróquia Nossa Senhora de Bonsucesso, em Serranos

Em Serranos, há outra realidade. No município, que não tem casos da doença, a Igreja de Nossa Senhora do Bonsucesso já está nos preparativos finais para reabertura no próximo sábado, dia 1º. De acordo com o Pe. Guilherme, desde que o bispo enviou as orientações para as paróquias, também foi feito contato com a prefeitura para que tudo fosse feito seguindo as normas. “Entreguei inclusive as orientações do bispo, porque a gente se adequa às orientações que o bispo pede e ao que a prefeitura pede. O decreto saiu na sexta-feira, mas como já vínhamos conversando durante todo esse mês, a gente já se organizou com tudo que tem sido pedido pela prefeitura e pela diocese”, informou o pároco. Entre as medidas, os fiéis deverão dar o nome antecipadamente para participarem das celebrações; a entrada será permitida apenas pela porta principal mas todas as portas estarão abertas; tapete com água sanitária para higienização; distanciamento de um metro e meio; celebrações apenas na Igreja Matriz; disponibilização de álcool em gel, entre outros. A igreja teve sua capacidade reduzida para 30% e, a princípio, as missas serão celebradas aos sábados 19h, domingos às 10h e às 19h e durante a semana, às 19h na Igreja Matriz.

Paróquia de São João Batista, em Seritinga, durante celebração do padroeiro

Ali do lado, em Seritinga, o pároco Pe. Taquinho vê com cautela o retorno às celebrações. “Aqui veremos a possibilidade de retornarmos somente em setembro. Não retomaremos agora.  Vamos aguardar”, afirma. Mas não perde a fé em dias melhores. “Vamos esperar a situação; com a graça de Deus, melhorar”, comenta o pároco da Paróquia de São João Batista.