Estima-se que foram queimados 490 hectares, equivalente à área de 490 campos de futebol.

Nesta segunda-feira, dia 20 de julho, equipes do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, brigadistas do ICM Bio (Instituto Chico Mendes), voluntários, equipes do Exército Brasileiro e do Instituto Estadual de Florestas, apoiados por aeronave, prosseguem na operação para debelar às chamas na Serra Fina.

Os bombeiros, brigadistas do ICMBio Instituto Chico Mendes, e guias locais credenciados acamparam na serra, onde a temperatura chegou a -3° C nesta madrugada.

As ações de combate a incêndio se iniciaram desde às 4 horas da manhã. E com trabalho árduo e dedicação, o foco principal de incêndio foi debelado na Pedra da Mina. Deste modo, as equipes permanecem no local realizando o controle e monitoramento dos pequenos focos de incêndio, que poderão entrar em reignição.

Para a valorosa missão estão sendo utilizados equipamentos de proteção individual (capacetes, perneiras, luvas, por exemplo) e de combate a incêndio (abafadores, bombas e mochilas costais).
Logo no início do combate, foi feito um voo com o intuito de monitorar e reconhecer e a área atingida e definir as estratégias do dia.

A Serra Fina está situada na Serra da Mantiqueira, na divisa do estado de São Paulo com o estado de Minas Gerais. Com 2.798,39 m de altitude, é o ponto culminante da Serra da Mantiqueira e do estado de São Paulo.

Para esta segunda-feira a previsão de tempo é de continuidade de céu aberto e baixa umidade relativa do ar e estima-se que foram queimados 490 hectares, uma área equivalente a 490 campos de futebol.

Dos meses de julho a outubro são os que mais registram focos de queimadas em Minas Gerais. A principal causa é devido ao período de estiagem (sem chuva) e o tipo da vegetação existente no estado. Além de trazer prejuízos ao meio ambiente, ela também causa danos à sociedade, em especial, à saúde pública.

Fonte e fotos: Assessoria de Comunicação da Operação Serra Fina / Capitão Silvio