Plano para a retomada das atividades litúrgicas e pastorais são divulgadas pela Arquidiocese de Pouso Alegre

Nesta manhã, o arcebispo metropolitano de Pouso Alegre, Dom José Luiz Majella Delgado, divulgou o Plano de Retomada gradual das atividades litúrgicas e pastorais da arquidiocese em tempos de pandemia da Covid-19. O documento destina diversas informações seguindo fases de realização.

Na divulgação, eles ressaltam que se trata de uma transição que será feita em fases, que sua aplicação depende das condições sanitárias do momento e em conjunto com as orientações da Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária de cada município.

O retorno das celebrações da Santa Missa com a presença dos fiéis está previsto para o mês de agosto de 2020. A primeira missa celebrada na Arquidiocese de Pouso Alegre será realizada na Catedral Metropolitana no dia 1 de agosto. E nas demais paróquias, as missas retornam no dia 2 de agosto.

“Oferecemos um plano de retomada em sintonia com as orientações da CNBB, que acontecerá por fases, em um processo gradual, sempre em permanente diálogo dos párocos com as autoridades sanitárias de cada município da Arquidiocese, para sua efetivação de acordo com as condições de cada realidade. Por isso, nenhuma paróquia iniciará a execução deste plano sem antes apresentá-lo à Secretaria de Saúde e Vigilância Sanitária do município, solicitando por escrito sua validação, que deve ser afixada em todos os locais de sua execução e conservadas no arquivo paroquial para fins jurídicos e documentais. O plano prevê a preparação das equipes e elementos necessários para esse retorno, bem como a avaliação e o alargamento das possibilidades, assim que cada etapa for bem sucedida. No entanto, em havendo necessidade de revogação ou recuo em alguma das decisões aqui elencadas, por razões justas, sobretudo aquelas ligadas efetivamente à defesa da vida das pessoas, eles serão feitos”, disse dom Majella.

Ainda segundo informações, estão canceladas para o ano de 2020, as visitas pastorais de Dom José Luiz Majella Delgado, bem como as celebrações do sacramento da Confirmação.

O plano apresentado pela arquidiocese se dará por fases:

1ª FASE:  

Primeira quinzena de julho: – Conscientização do clero e dos fiéis; – Cadastramento e treinamento das equipes de voluntários; – Atendimento de confissões, bênçãos e orientação espiritual na igreja ou secretaria paroquial;

Segunda quinzena de julho: – Sacramento do Batismo; – Sacramento do Matrimônio; – Sacramento da Unção dos Enfermos; – Exéquias;

2ª FASE:

Agosto: – Retorno da celebração da Santa Missa com a presença de fiéis (Catedral Metropolitana e igrejas matrizes);

Dentro das outras fases estão: a retomada das missas nas comunidades, a distribuição da Sagrada Comunhão aos Enfermos a iniciação sacramental dos adultos (3ª fase); reuniões pastorais e dos movimentos e a retomada da catequese (4ª fase); os encontros de pastoral e dos movimentos e as festas dos padroeiros (5ª fase).

Saiba como será o retorno das celebrações da Santa Missa com a presença dos fiéis

As missas acontecerão com número reduzido de fiéis, conforme orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e das autoridades sanitárias. Salienta-se que é importante que as transmissões de missas, como vêm acontecendo em cada paróquia, continuem, já que muitos fiéis não poderão participar presencialmente.

Os fiéis que fazem parte dos grupos de risco, como os doentes e idosos acima de 60 anos, sejam orientados a permanecerem em suas casas, nutrindo a fé como indicado inicialmente. Sugere-se, também, que as crianças que não fizeram a primeira eucaristia fiquem em casa. Para participarem da celebração, será necessário que cada pessoa faça um cadastro, conforme meio adotado e orientado por cada paróquia, como retirada de senhas, inscrição em plataformas digitais etc. É de suma importância que todas as informações se concentrem na secretaria paroquial para facilitar o gerenciamento do processo e a comunicação.

A Comunhão Eucarística poderá ocorrer de duas formas, sendo o pároco o responsável por escolher umas delas. A primeira é a mais comum, em que o fiel forma a fila. Aqui, que se obedeça o distanciamento conforme as indicações no piso. Na segunda forma, o padre ou o Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão se dirige até o local onde o fiel esteja sentado. Nos dois casos, “a Eucaristia será distribuída exclusivamente nas mãos, devendo todos comungar na frente do ministro. A forma mais segura de colocar a hóstia na mão do fiel será com os braços em extensão máxima, sejam os braços de quem entrega a hóstia, sejam os braços da pessoa que a recebe, favorecendo assim a distância de dois metros entre elas, em fila, com sinalização adequada no piso. O fiel, na hora de comungar, deverá retirar momentaneamente a máscara, receber a hóstia na mão e coloca-la na boca, e recolocar a máscara. Comunhões sob duas espécies estão suspensas até segunda ordem”.

Com informações da Arquidiocese de Pouso Alegre –  Pe. Andrey Nicioli

Confira o documento da Arquidiocese de Pouso Alegre: