Desde o início da pandemia, um dos maiores problemas apresentados em países no exterior foi a falta de profissionais da saúde para atuar no enfrentamento ao novo coronavírus. O Governo Federal se antecipou com diversas ações, entre elas a criação da plataforma “O Brasil Conta Comigo”, que já tem o cadastro de quase um milhão de profissionais de saúde dispostos a aturem na linha de frente. Agora, a Força Aérea Brasileira também vai recrutar médicos e enfermeiros para trabalhar temporariamente em hospitais da FAB.

O Comando da Aeronáutica abriu, no dia 13 de maio, as inscrições para dois processos seletivos simplificados que buscam preencher 445 vagas de nível médio/técnico e superior para prestação de Serviço Militar Temporário. Os profissionais irão compor os quadros dos hospitais do sistema de saúde da Força Aérea para trabalhar no combate à pandemia da Covid-19.

A seleção será feita para profissionais interessados em trabalhar nas localidades Belém-PA, Canoas-RS, Manaus-AM, Recife-PE, Lagoa Santa-MG, Guaratinguetá-SP, Rio de Janeiro-RJ, São Paulo-SP e Brasília-DF.

Um dos editais oferece 276 vagas para Técnico de Enfermagem, com salário de R$ 3.825,00. O outro tem 169 vagas para cargos de nível superior nas funções de Médico, Médico Intensivista, Enfermeiro, Fisioterapeuta e Farmacêutico, com salário inicial de R$ 7.315,00. As inscrições gratuitas podem ser feitas até o dia 17 de maio, pela internet, por meio do endereço eletrônico convocacaotemporarios.fab.mil.br.

Banco de profissionais
O Ministério da Saúde continua cadastrando profissionais de saúde que estão disponibilizando seus serviços para o enfrentamento ao novo coronavírus por meio da iniciativa “O Brasil Conta Comigo”. O portal está aberto para 14 áreas da saúde e já cadastrou aproximadamente 931 mil pessoas. Esses profissionais receberam capacitação online sobre os protocolos clínicos do Ministério da Saúde e cerca de metade deles se dispuseram a atender solicitações.

Segundo Mayra Pinheiro, Secretária de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, do Ministério da Saúde, o levantamento dos profissionais de saúde é essencial para poder reforçar a capacidade de atendimento da população em localidades que solicitam ajuda junto à pasta.

“Os grandes problemas enfrentados no mundo durante a pandemia dizem respeito a recursos humanos, a oferta de equipamentos de proteção individual e de leitos. O Brasil se antecipou dentro dessas responsabilidades em relação aos recursos humanos e nós somos hoje o primeiro país que criou um cadastro para recrutar profissionais, treiná-los e capacitá-los no enfrentamento da pandemia”, ressaltou.

O cadastro é voluntário e tem como objetivo criar um grande banco de profissionais em todos os estados e municípios brasileiros e que eles possam declarar a disponibilidade para serem convocados para atuar na linha de frente, caso seja necessário. Dos mais de 931 mil cadastrados, cerca de 414 mil já se dispuseram a atuar em estados e cidades que tenham esta demanda, como foi o caso de Manaus, que solicitou ajuda ao ministério e recebeu 377 profissionais.

“Quando a gente fala que tem um número menor, é que esses profissionais declararam que se forem necessários, forem requisitados pelos estados e municípios, eles estarão à disposição”, explica Mayra. “Foi o que aconteceu com o município de Manaus que fez uma solicitação para o Ministério da Saúde de enfermeiros, biomédicos e nós estamos levando esses profissionais, treinando esses profissionais presencialmente em cursos de simulação realística e organizando a logística para que eles possam atuar.”

O cadastro é importante para que o ministério tenha o georreferenciamento de profissionais de várias áreas em todos os estados, principalmente terapeutas intensivistas, emergencistas e anestesistas, já que a grande demanda hoje está nos leitos de unidades de tratamento intensivo. 

As informações estão à disposição de todos os gestores, que precisam entrar em contato com o Ministério da Saúde. A pasta vai encaminhar os profissionais de acordo com a necessidade e a contratação fica a cargo dos estados e municípios solicitantes.
O cadastro pode ser feito no site https://registrarh-saude.dataprev.gov.br. Lá os profissionais terão acesso aos Protocolos de Manejo Clínico do Ministério da Saúde para enfrentamento à Covid-19. São 60 cursos para as 14 especialidades. No cadastro, o profissional também assinala se quer fazer parte do time que se dispõe a trabalhar no enfrentamento imediato do coronavírus.

Fonte: Agência do Rádio