Secretário-adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (30) — Foto: Reprodução/Redes sociais

‘É importante que mantenham o isolamento social’, disse o secretário-adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, nesta quinta-feira (28). Mais de 80 pessoas já morreram por coronavírus no estado.

“Hoje é o último dia útil, teremos feriado. Isso é ponto de atenção. Não vão às ruas, não faz sentido nesse momento. Só vão as ruas em extrema necessidade, como comprar um medicamento. Quem está no grupo de risco, peça a pessoas da sua família, filhos, pessoas mais jovens, que façam isso”, afirmou o secretário-adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, nesta quinta-feira (30).

Em entrevista coletiva realizada de forma remota, no início desta tarde, Cabral também falou sobre o “Minas Consciente”, cujos protocolos começaram a valer nesta quinta. O programa trata da reabertura das atividades econômicas no estado. No site do governo, há orientações para prefeitos, empresários e cidadãos.

A adesão dos municípios cabe ao executivo de cada cidade, e ainda não há a informação de quantas cidades já optaram pelo programa.

Segundo o secretário-adjunto, a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) já começou as reformas de ampliação dos hospitais. Além disso, ele informou que os laboratórios da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) também estão realizando exames para diagnóstico de coronavírus.

O número de mortos pela Covid-19 em Minas Gerais chegou a 82 nesta quinta. Ainda de acordo com o último boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o número de casos confirmados passa de 1,8 mil.

Até o momento, mais de 11 mil testes já foram realizados no estado, segundo Cabral. “A resposta leva de 48 a 72 horas para ficar pronta”, explicou.

O secretário de Saúde de MG, Carlos Eduardo Amaral, não participou da entrevista coletiva desta quinta-feira, pois estava em uma reunião com o ministro da Saúde e secretários de outros estados. Cabral disse que eles pensavam em “medidas que podemos fazer conjuntamente para enfrentarmos essa situação”.

Ainda sobre o feriado do Dia do Trabalhador, Cabral reforçou:

“A gente sabe que ficar em casa por muito tempo é difícil, mas é importante que mantenham o isolamento social”.