Até o momento, mais de 2 milhões de testes rápidos já foram distribuídos a todos os estados. Eles foram doados pela mineradora Vale para auxiliar o Brasil no combate ao coronavírus (Foto: Leopoldo Silva/ Agência Senado)

O Ministério da Saúde anunciou que vai ampliar para 46,2 milhões a aquisição de testes para diagnóstico da Covid-19. Eles chegarão por meio de compras diretas ou de doações. Até o momento, mais de 2 milhões de testes rápidos já foram distribuídos a todos os estados. Eles foram doados pela mineradora Vale para auxiliar o Brasil no combate ao coronavírus. No total, a Vale repassou 5 milhões dessas provas ao ministério.

O alto número de testes que estarão disponíveis não significa, no entanto, que a população brasileira será testada em massa, como explica o ministro da Saúde, Nelson Teich. 

“Esses testes vão ser usados de uma maneira que a gente possa entender o que está acontecendo em nossa sociedade. A Coreia do Sul, que é uma referência em testes, fez 10 mil testes por 1 milhão de pessoas. Não estamos falando em testar o País inteiro. A gente vai usar de uma forma que os testados vão refletir a população brasileira”, pondera.

No dia 20 de abril, o Ministério da Saúde já havia aberto um chamamento público, para a participação de empresas interessadas em fornecer 12 milhões de testes rápidos por sorologia, usados para diagnosticar a doença. O ministro destacou ainda que foi firmado um contrato com uma empresa para que sejam realizados 30 mil exames por dia, chegando a um total de 3 milhões de exames. A testagem é uma das estratégias, segundo Teich, para que aos poucos sejam finalizadas as medidas de distanciamento social. “Com essa preparação, a gente vai desenhar esse programa de saída planejada, progressiva e estruturada do distanciamento social”, acrescenta.

Nelson Teich reiterou que a saída gradativa do isolamento social é uma das três prioridades adotadas pelo ministério após sua chegada. As outras duas vertentes são entender melhor a doença e preparar a infraestrutura para o tratamento de infectados. Para mais informações sobre a Covid-19, acesse coronavirus.saude.gov.br. 

Fonte: Agência do Rádio