O PDT entrou na última quarta-feira (22) com um pedido de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. O documento foi assinado pelo presidente e pelo vice-presidente do partido, Carlos Lupi e Ciro Gomes, candidato do partido nas eleições de 2018.

De acordo com o Partido, Bolsonaro cometeu crime de apologia ao autoritarismo

”Dentre os mais graves crimes cometidos por Bolsonaro está apologia ao autoritarismo e negação do sistema tripartite – existência de três poderes: o Legislativo, o Executivo e o Judiciário, independentes e harmônicos entre si – consolidado no Estado brasileiro. O último exemplo do referido delito é a participação do chefe do Executivo nas manifestações que defendiam o retorno da Ditadura Militar, do Ato Institucional Nº5 (AI-5) e o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF), realizadas no último domingo.”

Confira a nota completa do Partido

O Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia tem a prerrogativa de dar início ao processo de impeachment do Presidente da República. Quando o impeachment é aceito pelo presidente da Câmara, a questão é avaliada em conjunto com os 513 deputados. Posteriormente se aprovado, vai para o Senado, que dá o veredito final.

Foto: Marcelo Casal Jr (Agência Brasil)