Equipamentos foram transportados de Minas Gerais, onde passaram por reparos, até Macapá em voo da FAB e estão prontos para tratar pacientes infectados

Dez ventiladores pulmonares consertados no Centro de Inovação e Tecnologia do Serviço de Aprendizagem Industrial (SENAI) de Minas Gerais retornam ao estado no último fim de semana. Os aparelhos foram transportados até Macapá por meio de um avião da Força Aérea Brasileira.

Os aparelhos vão ajudar pacientes infectados pelo novo coronavírus, já que um dos sintomas mais graves da covid-19 é a dificuldade em respirar, – o que exige intervenção mecânica para preservar a vida do paciente. “A rede SENAI tem sido fundamental para a manutenção e conserto de respiradores. A situação estava bem crítica aqui no Amapá. O retorno desses aparelhos em um espaço muito curto de tempo é essencial para o atendimento das pessoas acometidas pela covid-19”, comemora a diretora de Operações do SENAI/AP, Alyne Vieira. 

A cooperação com a Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) contou com engenheiros mecânicos, eletricistas e de automação para a tarefa. A lista de reparos incluiu limpeza, calibração, verificação de peças plásticas ressecadas, mangueiras ou conexões até problemas com a bateria do equipamento.

O lote de insumos entregue pela FAB trouxe também cinco novas impressoras 3D adquiridas pelo SENAI-AP para aumentar a produção de máscaras-escudo, que cobrem boa parte do rosto e utilizam uma camada plástica semelhante à viseira de um capacete. Esse material é mais resistente e geralmente é feito a partir de placas de acetato, com o auxílio de impressoras 3D. Com isso, a instituição, que já fabrica esse equipamento de proteção individual (EPI), ganhou um reforço para aumentar a produção e atender a demanda local. “Vamos trabalhar de forma a manter a estrutura de equipamentos de proteção individual abastecida dentro das unidades de saúde”, garante Alyne. 

Além dos respiradores, o estado recebeu protetores faciais doados pelo SENAI do Ceará e pelo SENAI da Bahia, máscaras de proteção e aventais fabricados de TNT. Os itens são destinados aos profissionais da saúde que estão na linha de frente do atendimento à população, como médicos e enfermeiros.

Trabalho voluntário 

Em outro esforço para conter a pandemia no estado, SESI e SENAI se uniram na luta contra a covid-19 e buscam voluntários para ajudar na confecção e costura de máscaras de proteção. Segundo Alyne Vieira, a ideia é atrair candidatos da comunidade, ex-alunos e profissionais da área que possam doar um pouco do seu tempo para ajudar outras pessoas. 

“A confecção dessa máscara é simples e de rápida aplicação e instrução. Nosso corpo docente estará presente nos laboratórios, tanto em Macapá quanto em Santana, prestando orientação, ensinando o passo a passo”, explica.

Com a ajuda de voluntários, a expectativa é produzir 400 máscaras por dia, levando em conta a capacidade e quantidade de máquinas disponíveis e o número de pessoas. Os interessados podem buscar mais informações nos sites das instituições. Para se cadastrar, o voluntário deverá ter idade superior a 14 anos. Qualquer candidato menor de idade precisa ter o Termo de Adesão assinado pelos pais ou responsável legal.

Fonte: Agência do Rádio