O Jornal Panorama dá sequência na série de entrevistas com o médico Doutor Edson Libanio. A entrevista foi dividida em três partes para levar a melhor informação até aos leitores. Quarta, entendemos melhor sobre as vacinas que estão sendo desenvolvidas pela comunidade científica. Na quinta (16), o papo foi sobre as questões políticas envolvendo o novo coronavírusPara encerrar, hoje (17), o Doutor Edson vai explicar o impacto do novo coronavírus na região.

Cidades menores do Sul Minas Gerais adotaram critérios estabelecidos por profissionais da saúde de todo o mundo como o isolamento horizontal. Muitas pessoas se perguntam se essa é a melhor maneira para frear a propagação do coronavírus já que muitos pequenos municípios ainda não apresentaram nenhum caso. De acordo com o Doutor Edson Libanio, é possível um afrouxamento nas medidas mais rígidas nos próximos dias, mas vai depender dos novos dados epidemiológicos dos municípios.

Doutor Edson Libanio, referência na área médica de Baependi

”Como frisei, pelo perfil da pandemia em nossa região, imagino que daqui para frente a tendência é ir afrouxando paulatinamente, com segurança, as medidas de isolamento. Mas há que esperar, ainda, novos dados epidemiológicos e de evolução em nossa região. Minas Gerais foi um estado muito esperto, muito tempestivo nas tomadas de decisões. Estamos de parabéns. Mesmo em BH, em cidades maiores, com maior densidade demográfica é sempre mais difícil, mas até lá estamos correndo bem. Apenas 13% de ocupação de UTI! E não tem outra forma: esperar as diretrizes da secretaria de Saúde que tem as informações técnicas.”, conta Doutor Edson

Outra dúvida frequente da população é quando e se teremos nossa vida normal novamente? Segundo o Doutor Edson, boa parte dos epidemiologistas consideram que o isolamento horizontal poderá ser encerrado em maio, mas vai depender da região e de quantos casos o município apresenta.

”Ninguém sabe quando teremos nossa vida normal de volta, ninguém no mundo tem esta resposta. É uma situação inteiramente nova, é um vírus totalmente novo, não temos parâmetros para comparação. Diria que voltamos a vida social normal quando tivermos uma vacina eficaz e segura. Mas a maior parte dos epidemiologistas consideram que o isolamento vertical (só dos idosos e grupos de risco) pode ser finalizado em outubro. E o isolamento horizontal a partir de maio, dependendo da região”, explicou o médico

Governantes do mundo inteiro buscaram respiradores para atender a demanda criada pelo novo coronavírus. Outra complicação é o número de UTIs que não conseguiria atender muitas pessoas ao mesmo tempo. Por conta disso, o isolamento foi adotado no mês de março. Na época, o ex-Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, declarou que o sistema público entraria em colapso se muitas pessoas ficassem doentes ao mesmo tempo. Em Baependi, no Sul de Minas Gerais, temos boas intensivistas, como conta Doutor Edson.

”E não temos UTIs e respiradores infinitos e nem quem saiba operar estas máquinas (não pensem que é só ligar um ventilador e virar as costas. Que bom se fosse desta forma). É complexo demais. Por isto o isolamento social ainda é muito importante. Por sorte em Baependi temos intensivistas excepcionais e em bom número, mas esta situação é uma raridade neste país”, afirmou Edson Libanio.

Foto: Reuters / Kai Pfaffenbach (Agência Brasil)

Confira a entrevista com o Doutor Edson Libanio na íntegra