Após posicionamento de diversos órgãos contra a medida, governo municipal anunciou decisão. Comércio iria voltar nesta segunda-feira (6) (Foto: reprodução EPTV)

A prefeitura de Varginha (MG) decidiu revogar o decreto que permitia a reabertura do comércio da cidade a partir desta segunda-feira (6). O comércio estava fechado, com apenas serviços essenciais funcionando como medida de combate ao coronavírus, mas voltaria às atividades por uma decisão da prefeitura.

A decisão de revogar o decreto um dia antes do retorno do comércio veio após questionamentos de diversos órgãos como o Ministério Público, a Associação Médica, a comissão de enfrentamento ao Covid-19, o Conselho Municipal de Saúde e a Superintendência Regional de Saúde.

Segundo uma nota pública divulgada na noite deste domingo (5), o prefeito Antônio Silva informou que também levou em conta o fato da maioria dos comerciantes ser contra a reabertura dos estabelecimentos. A decisão já foi repassada à Associação Comercial de Varginha (Aciv).

Entenda

Após a decisão da prefeitura de fechar parte do comércio, um grupo de empresários chegou a fazer uma carreata para pedir que a abertura fosse liberada. Na data, o prefeito pediu paciência aos comerciantes e disse que a situação seria avaliada.

Na última sexta-feira (3), a prefeitura divulgou um decreto que permitia a reabertura dos estabelecimentos a partir de segunda-feira. No entanto, o documento estabelecia normas a serem seguidas. No mesmo dia, a cidade confirmou seus três primeiros casos de coronavírus.

No sábado, a Associação Médica e o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais divulgaram uma nota conjunta questionando a decisão da prefeitura e alegando que não tinham sido consultados e que a decisão era de inteira responsabilidade da prefeitura.

A prefeitura afirmou que as afirmações não se sustentavam, mas voltou a ser questionada por outros órgãos. Na tarde de sábado, o Ministério Público recomendou que a prefeitura revogasse o decreto.

A preocupação do MP era que a reabertura do comércio de Varginha impulsionasse as cidades vizinhas a fazerem o mesmo e, também, que a população das outras cidades viajasse para Varginha para aproveitar o comércio aberto.

O órgão deu 24 horas para que a prefeitura respondesse à recomendação.

Fonte: Portal G1