O termo coronavírus é o mais usado em todo o mundo na atualidade – por motivos óbvios -, mas em um país seu uso está proibido. Isso mesmo, proibido. O ditador Gurbanguly Berdimuhamedow baniu o uso da palavara no Turcomenistão a partir dessa terça-feira (31).

No país que já foi da União Soviética, a população de 5,8 milhões está proibida de usar a palavra em público. E quem for visto falando da doença, ou até mesmo usando máscaras, pode ir parar na prisão, algo que já aconteceu com algumas pessoas pelas ruas da capital Asgabate.

A palavra também foi retirada das ações do governo para combater o coronavírus. Segundo o governo, o Turcomenistão não tem registro de pessoas infectadas pelo Covid-19. O que causa estranheza, visto que no Irã, país vizinho, quase 3 mil pessoas morreram e 44 mil casos foram registrados.

Para alertar a população sobre o vírus, o governo vem usando as palavras “enfermidade” ou “doença respiratória”. Com o objetivo de evitar a doença as fronteiras foram fechadas e as estradas bloqueadas.

O ditador Berdimuhamedow está à frente do governo desde 2007. Na sua última eleição, em 2017, teve mais de 97% dos votos, porém a vitória foi denunciada por entidades de direitos humanos.

Fonte; Bhaz