Cidadãos devem se atentar ao número 136 no identificador de chamadas para evitar golpe; meta é ligar para 125 milhões de brasileiros

O Ministério da Saúde vai telefonar para casa dos cidadãos em busca de pessoas vulneráveis e com sintomas de infecção pelo novo coronavírus. Com uma saudação automatizada, a pasta planeja fazer uma busca ativa, por telefone.  A voz do outro lado da linha vai fazer perguntas ao interlocutor, como por exemplo,  sobre sua condição de saúde. O serviço,  segundo o ministro Luiz Henrique Mandetta, teve início na terça-feira.

— Olá, boa tarde. Aqui é do Ministério da Saúde. Você pode falar agora? – diz a voz artificial no início da ligação.

Se a pessoa tiver sinais de Covid-19, um profissional de saúde dará orientações sobre postos de saúde ou hospitais de referência a serem procurados. Outras orientações de prevenção podem ser repassadas para a população em geral.

Como saber se não é trote

Para evitar trotes ou golpes, o cidadão deve prestar atenção ao identificador de chamadas, onde vai aparecer o número 136, do Disque Saúde. Desconfie de perguntas e pedidos sobre senha de banco, conta bancária, dados financeiros,  bem como dados do benefício do INSS, por exemplo, entre outras.

A ideia da pasta é apenas monitorar à distância as pessoas em isolamento domiciliar, conhecendo o estado de saúde durante todo o período.

A meta é atingir 125 milhões de brasileiros, segundo Mandetta. Ele afirmou, na terça-feira, que as ligações começariam naquele dia. O ministro destacou a iniciativa em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto.

Outra ferramenta que poderá auxiliar a popoulação é o aplicativo Coronavírus SUS. A recente atualização permite que o Ministério da Saúde possa enviar mensagens e alertas aos celulares e tablets, mesmo com app fechado ou não sendo utilizado naquele momento. A ferramenta permite que a Secretaria de Vigilância em Saúde, responsável pela vigilância epidemiológica da pandemia do coronavírus no Brasil, disponibilize comunicados para usuários em geral ou segmentos públicos específicos. O app está disponibilizado nas lojas virtuais do Governo do Brasil nas principais plataformas digitais.

Fonte: O GLOBO

Foto: Adriano Machado / REUTERS