Inicialmente, serão 500 mil kits. Este é o primeiro lote de um total de 5 milhões adquiridos pela Vale e doados ao governo (Foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Ministério da Saúde iniciou nesta quarta-feira (1º) a distribuição dos 500 mil testes rápidos para diagnóstico do novo coronavírus. O exame deve atender profissionais da saúde e agentes de segurança, como polícias, bombeiros e guardas civis. Este é o primeiro lote de um total de 5 milhões de testes adquiridos pela mineradora Vale e doados ao governo. 

O Sudeste, Sul e Centro-Oeste do país receberão os materiais por voos comerciais, cargueiros ou rodovias. Já a distribuição para Região Nordeste contará com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB). Dos 500 mil testes, serão enviados 120,2 mil  para estados nordestinos, 20,3 mil para o Sudeste, 71,8 mil para o Sul, 35,5 mil para o Centro-Oeste e 36,9 mil para a Região Norte.

“Os testes rápidos devem ser feitos somente após o sétimo dia do início dos sintomas. Eles servem apenas para marcar se a pessoa tem ou não o anticorpo que combate o vírus. Vão mostrar se você já teve no passado, e nesse caso está imune, ou se tem o vírus no período latente da doença”, explicou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Muita gente vai ganhar imunidade grátis, não vai ter nem sintomas”, completou.

Os 500 mil kits foram transportados em 417 caixas, que totalizaram um peso de 6,3 toneladas. A carga foi embarcada no Aeroporto Internacional de Guangzhou Baiyun, na província chinesa de Guangdong, na madrugada do último domingo (29). Foram mais de 17 mil quilômetros percorridos em 23 horas de voo.

O restante dos testes rápidos, equivalentes a 4,5 milhões, devem chegar ao Brasil ainda neste mês de abril. A previsão é de entrega de 1 milhão de testes por semana. Do montante de 500 mil testes já recebidos, parte vai compor uma reserva técnica do Ministério da Saúde, e os demais estão sendo utilizados pelo Instituto Nacional de Controle se Qualidade em Saúde (INCQS) na avaliação de qualidade.

Entenda

Os testes rápidos são indicados apenas para os profissionais dos serviços de saúde e da segurança. Isso porque o exame é feito somente após o sétimo dia do início dos sintomas de síndrome respiratória, como tosse, dificuldade para respirar, congestão nasal e dor de garganta, para detectar a presença de anticorpos (IgG e IgM), que são defesas produzidas pelo corpo humano contra o vírus SARS-CoV-2, que causa a COVID-19.

Com resultado em até 20 minutos, o teste é qualitativo para triagem e auxílio diagnóstico.

Fonte: Estado de Minas