No dia 1º de abril, o presidente Jair Bolsonaro apagou a postagem em que compartilhava vídeo de um funcionário da CeasaMinas, em Contagem, mostrando um galpão da central de abastecimento vazio e alertando para o risco de a população ficar sem ter o que comprar. Isso ocorreu depois que a imprensa divulgou informações contrárias, inclusive com comerciantes dizendo que a oferta de produtos está até maior que nos últimos dias.

A postura do presidente fez com que muitos internautas compartilhassem links de reportagens em redes sociais com a hashtag #bolsonaroday. É uma referência ao Dia da Mentira, ‘celebrado’ no Brasil em 1º de abril.

Dentro do próprio governo há discordância em relação à postura do presidente. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem afirmado que não há risco de desabastecimento. Já Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura, diz que a logística e o abastecimento estão funcionando bem.

Os próprios varejistas fazem questão de acalmar a população. A Associação Mineira de Supermercados (Amis) garante que o estoque está normal e que não há necessidade de os consumidores levarem para casa quantidades acima do necessário, o que, aí sim, poderia gerar falta de produtos.

Nota de esclarecimento da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Agricultura MG) de Minas Gerais sobre o abastecimento na Ceasaminas 👇

Fonte: Estado de Minas