Depois da redução, na semana passada, dos preços da gasolina e do óleo diesel em suas refinarias, a Petrobras vai reduzir em 10% seus preços do GLP, para todas as categorias, o gás residencial, o gás de botijão, o industrial e o comercial, a partir desta terça-feira (dia 31).

A forte queda nos preços do petróleo no mercado internacional vem forçando a Petrobras a uma redução também em seus preços nas refinarias.

Famílias compram mais do que o necessário

Apesar da tendência de queda nos preços, as famílias estão estocando botijões, criando uma demanda inexistente pelo produto, que pode acabar impedindo a queda no preço.

— O consumidor está tendo um comportamento em tempo de guerra e estocando coisas que considera essenciais, como o botijão de gás. Essa compra antecipada não estava prevista pelo mercado, que previa uma demanda estável. Em São Paulo, por exemplo, houve uma compra antecipada na ordem de 20% a mais. Com isso, a Petrobrás teve que importar 80 mil toneladas de gás a mais do que de costume para entregar no mercado — afirmoua Sérgio Bandeira de Mello, presidente do Sindigás, que reúne as empresas distribuidoras de GLP no país, informando que isso não é necessário é que o abastecimento está garantido.

Para quem tem gás encanado, a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) informou que não há qualquer alteração no abastecimento. E que, mesmo com o aumento da demanda devido à quarentena, o suprimento está assegurado, uma vez que o Brasil conta com três fontes de suprimento: a produção nacional de gás natural, a importação da Bolívia e a importação de gás natural liquefeito (GNL).

Foto: Paulo Bravos
Fonte: Jornal Extra