Governador anunciou na tarde desta sexta-feira (27) que será iniciado um estudo para verificar a viabilidade de reabertura de alguns setores comerciais

O governador Romeu Zema (Novo) anunciou na tarde desta sexta-feira (27) que será iniciado um estudo para verificar a viabilidade de reabertura de alguns segmentos comerciais no Estado. O fechamento de locais que atendiam consumidores finais havia sido determinado na última sexta-feira (20). Com a nova orientação, alguns setores do comércio de Minas Gerais poderão voltar a funcionar normalmente, caso o estudo aponte que é seguro.

Os estados de Santa Catarina, Rondônia e Mato Grosso anunciaram a volta das atividades e, agora, o governo de Minas vai estudar se é viável retomá-las também em território mineiro. Segundo Zema, o Estado tem tido “um custo social enorme com a questão do isolamento, da suspensão de vários ramos do comércio”. “Quero deixar muito claro que a nossa prioridade continua sendo a vida”, disse o governador.

 A justificativa econômica também foi adotada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em pronunciamento na última terça-feira (24). Após classificar a enfermidade causada pelo coronavírus como “gripezinha”, o chefe do Executivo federal afirmou que o país não poderia parar. O governo, inclusive, lançou a campanha #OBrasilNãoPodeParar.

O anúncio acontece um dia após o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, ter afirmado que ainda era cedo para suspender o isolamento. Já nesta sexta-feira, o secretário disse que todas as atitudes do governo são baseadas em análises e buscam implementar as melhores práticas para garantir a saúde da população.

Fase de Estudo

Romeu Zema não entrou em detalhes sobre quais segmentos terão permissão para funcionar, mas informou que todos os estudos serão realizados em conjunto com prefeitos dos municípios mineiros. “Se o prefeito entender que em sua cidade há um foco e não é possível reabrir, vamos seguir essa determinação”, explica.

Segundo o governador, a medida é passível de alteração caso seja observado um aumento na curva de contaminação pelo coronavírus.

“Não vamos fazer nada descabido, nada sem análise profunda, nada que venha a colocar em risco a vida das pessoas”, garantiu.

Zema ainda informou que será solicitado aos sindicatos patronais e de trabalhadores que se organizem para tomar medidas que protejam os funcionários nos segmentos que forem autorizados a retomar as atividades. 

“Nós estaríamos saindo de uma situação de isolamento para situação de distanciamento”, ponderou.

Fonte: O Tempo