Presidente participou de videoconferência com os quatro governadores do Sudeste na manhã desta quarta (foto: Reprodução/Twitter Romeu Zema)

O governador de Minas GeraisRomeu Zema (Novo), vai ignorar as orientações do Governo Federal e fará com que o estado continue seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) em meio à pandemia do novo coronavírus. O chefe do Executivo mineiro participou, na manhã desta quarta-feira, de uma videoconferência com o presidente da RepúblicaJair Bolsonaro (sem partido), e os outros governadores da Região Sudeste: o capixaba Renato Casagrande (PSB), o paulista João Doria (PSDB) e o carioca Wilson Witzel (PSC).

“Em Minas Gerais, nós estamos adotando as melhores práticas: aquelas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde e já adotadas em países desenvolvidos. Queremos, em primeiro lugar, a preservação da vida”, disse Zema, em vídeo divulgado nas redes sociais após a reunião remota.

Nessa terça, em pronunciamento nacional em rádio e TVBolsonaro não anunciou nenhuma medida concreta para o combate ao coronavírus, além de atacar, e ao mesmo tempo elogiar, a imprensa. Ele também ratificou o discurso de que a COVID-19 se trata de uma “gripezinha”, ou “resfriadinho”, e criticou o fechamento de escolas e estabelecimentos e o isolamento social, medidas adotadas, em certa medida, por todos os governadores do Sudeste.

Apesar da discordância nesse ponto, Zema externou que se preocupa muito com a economia em meio ao cenário de pandemia. O governador mineiro sugeriu que medidas fossem tomadas pelo Ministério da Economia a fim de garantir mais segurança a empregadores e empregados.

“Mas compartilho da preocupação do presidente Bolsonaro com a questão econômica, e muito provavelmente o Ministério da Economia deverá estar propondo algumas medidas visando preservar os empregados e também os empregadores. Inclusive, mencionei isso com o ministro Paulo Guedes. É importantíssimo termos alguma medida nesse sentido com uma certa urgência”, completou. 

Doria Witzel também se manifestaram sobre a reunião. Casagrande deve se pronunciar em breve. Veja, abaixo, o que cada um escreveu:

João Doria: “Decepcionante a postura do presidente Jair Bolsonaro na reunião que tivemos há pouco com governadores do Sudeste para tratar sobre o combate ao coronavírus. Levamos as solicitações do governo de São Paulo e nosso posicionamento sobre a forma como a crise deve ser enfrentada”.

Wilson Witzel: “O Governo Federal atendeu positivamente aos meus anseios em relação às medidas econômicas. Saio satisfeito com a reunião e acredito que o diálogo é o caminho. Não estou aqui para fazer política, e sim para governar. Espero que o presidente mantenha o diálogo aberto com o Rio de Janeiro. Peço mais uma vez ao povo fluminense: fique em casa. Siga as recomendações. Não queremos acabar com as empresas, exterminar empregos. Queremos preservar vidas”.

Segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados na tarde dessa terça-feira, 46 pessoas morreram no Brasil por causa do coronavírus. Já os casos confirmados da COVID-19 no país chegam a 2.201. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), 133 casos foram confirmados no estado, e outros 14.227 estão sendo investigados. 

Fonte: Estado de Minas